quarta-feira, dezembro 16, 2009

Mas as Crianças Senhor .... porque lhes dais tanta dor ???



É tempo para recordar o poema de Augusto Gil:

Batem leve, levemente,
Como quem chama por mim...
Será chuva?
Será gente?
(............................)
Fui ver.
A neve caía
Do azul-cinzento do céu,
Branca e leve, branca e fria...
(............................)
Fico olhando esses sinais
Da pobre gente que avança,
E noto, por entre os mais,
Os traços miniaturais
Duns pezitos de criança...


E, descalcinhos, doridos,
A neve deixa inda vê-los,
Primeiro bem definidos,
Depois em sulcos compridos,
Porque não podia erguê-los...


Que quem já é pecador
Sofra tormentos, enfim!...
Mas as crianças, Senhor
Porque lhes dais tanta dor?
Porque padecem assim?



E uma infinita tristeza,
Uma funda turbação,
Entra em mim, fica em mim presa...
Cai neve na Natureza
E cai no meu coração.


Beijos,
Isabel

16 comentários:

Odele Souza disse...

Que lindo este post Isabel. O poema é lindo e a imagem também.

Também acho imcompreensível o sofrimento para crianças.

beijinhos.

Mocho Falante disse...

Sem dúvida um post cheio de emoção, com uma imagem bem interessante. Beijocas

Paula Raposo disse...

Sempre gostei muito deste poema. Tive de o decorar quando andava na primária.
Bonito post!
Beijinhos.

Fatyly disse...

Sei de cor este poema ainda dos tempos do banco da escola...e fizeste um trabalho sensível que deu ainda mais vida ao poema.

O título do teu post diz tudo, porque existe tanta dor em milhões de crianças? Não pediram para vir ao mundo e sofrem o que sofrem. Acreditando no que acredito, sem fanatismos absurdos...não perdoo e discuto muitas vezes com Deus e por vezes ponho-o de castigo:)

Beijos e parabéns pelo post

peciscas disse...

Este é um poema que deve ser recordado, para além da obrigatoriedade escolar que o tem rodeado.
A evovação que aqui fazes, sobretudo pela qualidade e sensibilidade da imagem, tem o condão de lhe reavivar o significado mais humano, mais profundo.
Porque as crianças, Senhor (e também os idosos) nunca merecem a dor que por vezes carregam.

Ana Martins disse...

Lindo e delicioso Isabel, adorei!

Beijinhos,
Ana Martins

poetaeusou . . . disse...

*
porque padecem assim ???
,
Augusto Gil
sempre actual,
que bela escolha,
obrigado, amiga,
,
Se aquilo que a gente sente,
Cá dentro, tivesse voz,
Muita gente ... toda a gente
Teria pena de nós!!! ???
>>>>>>>> in-augusto gil,
,
na noite de Natal
vamos lembrar,
quem,
Natal não tem !
,
brisas serenas, deixo,
,
*

A.S. disse...

Isabel...

Obrigado pelo teu carinho!
Venho deixar-te um grande beijo de Natal!!!

Entre "linhas" disse...

"A Melhor mensagem de Natal é aquela que sai em silêncio
de nossos corações e aquece com ternura os corações daqueles que nos acompanham em nossa caminhada pela vida"

*Laur@´s Poesias

tulipa disse...

Que o Natal,
em lugar de ser apenas uma data,
seja um estado de espírito
a nos orientar a vida, permanentemente.
Os meus votos para ti e familiares de que este Natal traga alegria, paz e muita felicidade para todos os dias do Ano Novo.
Beijinhos

NOTA: este ano, nos meus 2 blogues, apresento 2 árvores de Natal (pinheiros) bem originais.
Convido-te a ornamentá-los com aquilo que achares que lá fica bem...pode ser bolinhas, fitinhas, palavrinhas e até pensamentos.
Podem ser:
emoções,
sentimentos,
abraços
e outros miminhos.
Eu agradeço!!!

São disse...

Linda, te venho desejar e aos teus um Natal de amor e belas prendas e um ano novo com saúde e paz!

Umm grande abraço.

Jorge P.G disse...

Desejo-te um Bom Natal e que entres bem em 2010.

Trabalho, Saúde, paz e amor!
Um abraço.

O Guardião disse...

passei para desejar um Santo e Feliz Natal.
Cumps

Delend disse...

Amei!
Bom Natal

SILÊNCIO CULPADO disse...

Isabel

São estas imagens valorizadas pela força da emoção - que é arte e talvez ilusão - que nos dão aquele sentido que tantas vezes procuramos no vazio.

Que seja Augusto Gil sempre lembrado para que a indiferença não vença.

Abraço e Bom Natal

Leite de Pedra disse...

Um poema infelizmente ainda e sempre actual. Como é bom trelê-lo.