quinta-feira, dezembro 13, 2007

É Sempre Natal No Peito.


SEMPRE

De braços abertos

as mãos voltadas

para o Natal

que no peito

sempre permanece.

De mãos abertas

coração sorrindo

para que no peito

o Natal sempre

inspire a nossa voz.


De coração aberto

lágrimas e sorrisos

tempos de festejar

o poder ser sempre

Natal no nosso peito.



Poema de Paula Raposo, a quem dedico este Post.



Beijinhos,

Isabel


Nota: Petição em Prol das Crianças Vítimas de Abusos Sexuais

(clicar pfvr.)

24 comentários:

Paula Raposo disse...

Isabel! Sensibilizada, muito, por ler aqui o poema que foi lido pelo José Gomes na última sessão de Poesia em Vermoim e que eu escrevi seguindo o tema. Fico sem palavras, por este post que me dedicas e que não sei como agradecer. Que todos nos lembremos que os outros existem, mesmo quando não é Dezembro, isso é que eu gostaria. A imagem está lindíssima e uma lágrima cai na minha alma. Muitos beijos. Muito obrigada pela Amizade.

Isabel-F. disse...

Oi Paula,

Nada tens a agradecer ...

já te tinha dito que tinha gostado imenso do teu poema ...

e...

fico feliz por teres gostado da minha ilustração ...


beijinhos

wind disse...

Conseguiste uma lindíssima ilustração para o belo poema da Paula:)
Parabéns:)
A ela já lhos dei:)
Beijos

Isabel-F. disse...

Obrigada Wind.


Muitos beijinhos para ti

São disse...

Gostei do poema. Beijos para ti e para a autora!

Isabel-F. disse...

São,

Obrigada e beijinhos

aDesenhar disse...

se a tua imagem vale por mil palavras
este poema vale por mil imagens.
parabéns Isabel e paula raposo.

bjs

Isabel-F. disse...

aDesenhar,

Tens toda a razão ...

este poema vale por mil imagens ...


beijinhos e obrigada

Belzebu disse...

Um bonito poema da Paula Raposo, o que não é de estranhar, muito bem acompanhado por uma das tuas excelentes ilustrações!
Infelizmente o espírito natalício que se pretende, nem sempre é o que se vive!

Aquele abraço infernal!

Isabel-F. disse...

Belzebu,


pois realmente não é ...


mas vamos tentando que as mentalidades e pessoas mudem ... não custa nada ...


beijinhos

Kalinka disse...

Olá Isabel

Todos os dias do ano (não só no Natal...)deviamos pensar nas nossas «deficiências»:

"Mudo" é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.
"Paralítico" é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda.
"Diabético" é quem não consegue ser doce.
"Anão" é quem não sabe deixar o amor crescer.

Beijos cheios de calor num dia gélido.

Parabéns à Paula Raposo, ela é uma poetisa verdadeira.

un dress disse...

:) beijO

Isabel-F. disse...

Kalinka,

Linda a tua mensagem ...


beijinhos e obrigada

Isabel-F. disse...

um dress,


para ti tb.

obrigada.

Amaral disse...

Isabel
Bonita a imagem a acompanhar um, também, bonito poema.
Bjo

Isabel-F. disse...

Amaral,

Obrigada e beijinhos

guiga disse...

Natal no coração! :)
*.*

Isabel-F. disse...

Guiga,


beijinhos para ti

Ruvasa disse...

Viva, Isabel!

O teu trabalho continua excelente como sempre.

E o poema que encontraste é bem digno do resto.

Beijinho

Ruben

ecos... disse...

a imagem e as palavras
beleza impalpável ...
espiritual ...
a inocência de uma criança
e o amor da família para partilhar ...
... para dar o coração ao mundo ...

beijinhos, Isabel Filipe

Odele Souza disse...

Isabel,
Da beleza do poema de Paula Raposo e da delicadeza de tua imagem, fêz-se um conjunto doce, meigo...
Um beijo às duas.

Isabel-F. disse...

Ruben,

Que bom tever por aqui ...


beijinhos e obrigada

Isabel-F. disse...

ecos,


fico deliciada com os teus comentários ...
eu não sei transmitir emoções por palavras ... só por imagem ... e a interpretação que lhes dás, às imagens, é-me deveras gratificante.

obrigada e beijinhos

Isabel-F. disse...

Odele,

Fico feliz por teres gostado.


beijinhos para ti