quinta-feira, setembro 24, 2009

Os Vampiros ...

Em reedição ... porque convém não esquecer ...



ZECA AFONSO
Vampiros


No céu cinzento
Sob o astro mudo
Batendo as asas
Pela noite calada
Vem em bandos
Com pés veludo
Chupar o sangue
Fresco da manada

Se alguém se engana
Com seu ar sisudo
E lhes franqueia
As portas à chegada
Eles comem tudo
Eles comem tudo
Eles comem tudo
E não deixam nada


A toda a parte
Chegam os vampiros
Poisam nos prédios
Poisam nas calçadas
Trazem no ventre
Despojos antigos
Mas nada os prende
Às vidas acabadas

São os mordomos
Do universo todo
Senhores à força
Mandadores sem lei
Enchem as tulhas
Bebem vinho novo
Dançam a ronda
No pinhal do rei

Eles comem tudo
Eles comem tudo
Eles comem tudo
E não deixam nada



No chão do medo
Tombam os vencidos
Ouvem-se os gritos
Na noite abafada
Jazem nos fossos
Vítimas dum credo
E não se esgota
O sangue da manada

Se alguém se engana
Com seu ar sisudo
E lhes franqueia
As portas à chegada
Eles comem tudo
Eles comem tudo
Eles comem tudo
E não deixam nada

Eles comem tudo
Eles comem tudo
Eles comem tudo
E não deixam nada




e porque esta é a minha canção preferida,


de Zeca Afonso ...


e porque infelizmente continua tão actual.


Beijinhos




Isabel



7 comentários:

Mário Relvas disse...

Isabel,

esta canção está actualíssima. O teu blog continua firme e hirto. Sobretudo com chama e muito belo.

Parabéns amiga, já há muito que te não visitava.

Estou a ver se o período eleitoral acaba. Estou farto de promessas que vão dar naquilo que já conhecemos.

Esta canção de Zeca Afonso é lindíssima e sobretudo parece que foi escrita hoje!

Deixo-te o Poema da Amizade:


"Pode ser que um dia deixemos de nos falar...
Mas, enquanto houver amizade,
Faremos as pazes de novo.

Pode ser que um dia o tempo passe...
Mas, se a amizade permanecer,
Um de outro se há-de lembrar.

Pode ser que um dia nos afastemos...
Mas, se formos amigos de verdade,
A amizade nos reaproximará.

Pode ser que um dia não mais existamos...
Mas, se ainda sobrar amizade,
Nasceremos de novo, um para o outro.

Pode ser que um dia tudo acabe...
Mas, com a amizade construiremos tudo novamente,
Cada vez de forma diferente.
Sendo único e inesquecível cada momento
Que juntos viveremos e nos lembraremos para sempre.

Há duas formas para viver a sua vida:
Uma é acreditar que não existe milagre.
A outra é acreditar que todas as coisas são um milagre."
Albert Einstein


Fica com um abraço amigo do Mário

Fatyly disse...

Fizeste uma imagem fantástica e realças esta música do Zeca...sempre actual! Gostei muito e parabéns pelo post.

Beijos

Anónimo disse...

CONSULTEM O PROJECTO "80 ANOS DE ZECA" NO ENDEREÇO http://80anosdezeca.blogspot.com/
CUMPRIMENTOS

AJA norte

irneh disse...

Olá

Zeca é eterno e sempre actual.

Bom fim de semana

mfc disse...

Actualíssima... e o teu trabalho assenta-lhe lindamente!

aDesenhar disse...

Belo efeito visual
:-)
Os vampiros do Zeca continuam actuais e para todos os gostos e feitios
nesta républica das bananas. Condenados a prisão efectiva candidatos a autarquias, prescrições a gosto, corrupção de estado...enfim,
a lista é tão longa que estaria aqui várias horas a escrever...
:-)

bjs

rascunhos disse...

Excelente trabalho a ilustrar a canção eterna.

bjs