quarta-feira, maio 07, 2008

A Minha Pátria é a Língua Portuguesa.


De fato, este meu ato é devido à não aceitação deste pato com vista a assassinar a Língua Portuguesa.
Por isso ... por não aceitar este pato ... também não vou aceitar ir a esse almoço de comemoração onde se irá comer um arroz de pato ...
Ora ... como a esta ora ainda está úmido lá fora ... , de fato lá terei hoje de vestir um fato ...

Concordas com o modo de escrever acima exemplificado?
Se não concordares, clica na imagem que se segue e assina:

Nota:

Não posso deixar de aqui expressar, que esta minha posição não significa qualquer tipo de discriminação com o nosso povo irmão (Brasil) ...

Registo aqui algumas opiniões:

peciscas disse...
Ora aí está uma forma bem humorada de chamar a atenção para uma questão que está a levantar bastante polémica.Conforme diz o Amaral, em tudo há evolução e as línguas não fogem à regra.Se nos lembrarmos que, por exemplo, o Eça ainda ecrevia "pharmacia" ou que ainda há não muito tempo se esvrevia "fácilmente"(com acento), veremos que, por vezes, há que actualizar o modo de escrever.No entanto, também me parece que este acordo é excessivo,tem aspectos caricatos, não foi bem preparado, cede a determinado tipo de pressões políticas e pode trazer consequências bem complicadas, a vários níveis,designadamente no ensino, que é a área em que melhor me movimento.Se calhar, um outro acordo, mais realista, mas ponderado, mexendo apenas naquilo que for imperioso, para que a língua portuguesa continue a poder ser usada como meio de expressão usado por muitos povos que se compreendam entre si, fosse uma solução a encarar.
Maio 07, 2008 12:19 PM

Saramar disse...
Isabel, aqui no Brasil, o sentimento é o mesmo.Eu me pergunto como será possível mudar duas líguas por decreto?Língua é cultura, é algo íntimo das formas de vida de quem a usa e não há como obrigar que se altere assim.Na realidade, eu acredito que essa bobagem poderá até ser trasncrita para o papel, mas nas ruas, no dia-a-dia ninguém obedecerá.beijos
Maio 07, 2008 1:19 PM

Isabel Magalhães disse...
Querida Isabel;Como eu a entendo e subscrevo. Assinar já assinei, - parece até que são várias as petições - mas tenha cuidado, olhe que andam aí uns a insultar as pessoas que são contra o acordo. Pelo menos, a mim, já me deixaram uns 'piropos' no 'Oeiras Local' e até no meu site da Pintura, com direito a tratamento de 'Velha do Restelo' no blog de origem. Vá lá... pelo menos o 'piropo' teve a dignidade de passar a identificado, - depois de dois comentários anónimos sempre com a mesma origem.Vou ainda dizer da minha concordância com a simplificação da língua, a exemplo do que se verificou com anteriores acordos (4) mas não posso concordar que este tenha, principalmente, o intuíto de 'fazer vénias' ao Brasil, não por ser o Brasil, - País e Povo de que muito gosto - mas também e não só porque Portugal é a Pátria Mãe.Obrigada pela partilha do post.bjI.
Maio 07, 2008 2:12 PM

61 comentários:

Paula Raposo disse...

Eu já vou lá clicar. Discordo em absoluto com este 'pato' que considero surrealista demais para o meu gosto. Continuarei sempre a escrever como me ensinaram e recuso-me a fazê-lo de outra maneira qualquer! Era o que mais me faltava, ter que gramar imposições na língua portuguesa. Haja paciência. Beijos, Isabel.

anamarta disse...

Já lá fui. Não concordo e continuarei a escrever como sempre o tenho feito!
beijos

Amaral disse...

Isabel
Eu acho que em tudo há evolução. No entanto não podemos (embora sejam mais os brasileiros a utilizar o português) esquecer que a nossa língua é que deu origem aos outros "portugueses" falados pelo mundo.
Penso que se deveria manter como está e não haver acordo, mas...
Bjo

Águas da Vida disse...

Para refletir...
Uma excelente quarta-feira querida isabel.
Big Kiss

peciscas disse...

Ora aí está uma forma bem humorada de chamar a atenção para uma questão que está a levantar bastante polémica.
Conforme diz o Amaral, em tudo há evolução e as línguas não fogem à regra.
Se nos lembrarmos que, por exemplo, o Eça ainda ecrevia "pharmacia" ou que ainda há não muito tempo se esvrevia "fácilmente"(com acento), veremos que, por vezes, há que actualizar o modo de escrever.
No entanto, também me parece que este acordo é excessivo,tem aspectos caricatos, não foi bem preparado, cede a determinado tipo de pressões políticas e pode trazer consequências bem complicadas, a vários níveis,designadamente no ensino, que é a área em que melhor me movimento.
Se calhar, um outro acordo, mais realista, mas ponderado, mexendo apenas naquilo que for imperioso, para que a língua portuguesa continue a poder ser usada como meio de expressão usado por muitos povos que se compreendam entre si, fosse uma solução a encarar.

wind disse...

Faço minhas as palavras do Peciscas.
Beijos

Saramar disse...

Isabel, aqui no Brasil, o sentimento é o mesmo.
Eu me pergunto como será possível mudar duas líguas por decreto?
Língua é cultura, é algo íntimo das formas de vida de quem a usa e não há como obrigar que se altere assim.
Na realidade, eu acredito que essa bobagem poderá até ser trasncrita para o papel, mas nas ruas, no dia-a-dia ninguém obedecerá.

beijos

Isabel Magalhães disse...

Querida Isabel;

Como eu a entendo e subscrevo. Assinar já assinei, - parece até que são várias as petições - mas tenha cuidado, olhe que andam aí uns a insultar as pessoas que são contra o acordo. Pelo menos, a mim, já me deixaram uns 'piropos' no 'Oeiras Local' e até no meu site da Pintura, com direito a tratamento de 'Velha do Restelo' no blog de origem. Vá lá... pelo menos o 'piropo' teve a dignidade de passar a identificado, - depois de dois comentários anónimos sempre com a mesma origem.

Vou ainda dizer da minha concordância com a simplificação da língua, a exemplo do que se verificou com anteriores acordos (4) mas não posso concordar que este tenha, principalmente, o intuíto de 'fazer vénias' ao Brasil, não por ser o Brasil, - País e Povo de que muito gosto - mas também e não só porque Portugal é a Pátria Mãe.

Obrigada pela partilha do post.

bj

I.

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá Amiga Isabel, não concordo, com o homicídio da nossa língua Pátria...
Concordo com a Saramar, podem fazer os acordos que quiserem, mas de maneira nenhuma, o povo vai-se habituar...
Beijinhos de carinho,
Fernandinha

Isabel-F. disse...

Paula,
Anamarta,

... pois eu também continuarei a escrever como sempre escrevi ...

bjs

Isabel-F. disse...

Amaral,

Claro que sim ... em tudo há evolução ...

mas remeto-te para o comentário do Peciscas, com o qual concordo em absoluto...


beijinhos

Isabel-F. disse...

Amanda,

claro que é um assunto para reflectir ...

beijinhos

Isabel-F. disse...

Peciscas,

quisera eu ter o dom da palavra como tu ....

disseste o que penso ...

e como disse acima ... estou de acordo contigo em absoluto ....

beijinhos

Isabel-F. disse...

Wind,

Como disse já acima ....

estou em absoluto de acordo com o nosso amigo Peciscas...


beijinhos

Isabel-F. disse...

Saramar,

OBRIGADA.

... por seres brasileira e sentires o mesmo que eu ...

como tenho muitos amigos/visitantes brasileiros ... estava um pouco apreensiva que este post fosse mal entendido ...

mas como dizes ... cada um de nós tem a sua cultura ... e as coisas não se mudam por decreto ....


beijinhos e uma vez mais MUITO OBRIGADA

Isabel-F. disse...

Querida Isabel ...

obrigada pela tua presença ... tinha saudades tuas ...

e .. para mim ... é isso que está em causa: Portugal é a Mãe Pátria" ....

e ... eu também respeito e amo o povo brasileiro ... entre os quais tenho diversos amigos/as ...


rsss.... quanto aos que eventualmente estiverem contra ... tudo bem ... rsss ... não é por isso que vivemos numa democracia???

logo irei ver os insultos de que falas ....


beijinhos com carinho

Isabel-F. disse...

Fernanda ...

... é natural que, caso isto vá para a frente ... que seja dificil o "povo" habituar-se ...


... e, quanto a mim ... a Saramar defende que cada local tem a sua cultura ... o que eu concordo ...


mas não concordo que me tenha de vergar aos costumes dos outros ...

beijinhos

Odele Souza disse...

Isabel,
Concordo muito com o que diz Saramar, brasileira como eu. A forma de escrever e falar de um povo faz parte de sua cultura e deveria ser respeitada e não mudada por decreto ou lhe ser imposto um modo de se expressar.

Em vez dessa bobagem deveriam estar preocupados, isto sim em acabar com o analfabetismo no Brasil, em Portugal e no mundo, para que todas as pessoas possam ter acesso à instrução e consigam se expressar corretamente seja falando, seja escrevendo.

Um beijo.

Mocho Falante disse...

Querida Isabel

O Mocho vai encerrar por tempo indeterminado, vim por isso deixar-te uma beijoca de agradecimento por todas as tuas palavras bonitas

beijocas

RAUL disse...

Eu de fato gosto de comer pato.Mas também gosto de o comer quando não uso fato. Aliás eu de fato raramente como pato pois o fato é uma roupa que pouco uso a não ser em ocasiões especiais, que a isso obrigam.Com as minhas restrições alimentares tenho de fazer um pato com o meu dietista para poder comer pato.Comer pato depois de ter feito um pato com quem cuida da minha alimentação não é pecado nem me causa mal algum.
Espero que tenham compreendido o meu texto acima convenientemente e que está escrito em mau português, que nem é português de Portugal nem do Brasil. Em PB em vez de fato teria escrito paletó em PP teria dado realce ao pacto e o pato seria sempre para um arroz, já que arroz de pacto, nunca provei mas acho que não vou gostar.
Uma lingua viva tem de se moldar aos novos tempos, mas sem perder o traço original que a caracteriza.Acima de tudo deixem-me ser livre e escrever como eu sei e como eu gosto.Aceito quem escreva de forma diferente quando essa escrita comunica de uma maneira bonita sentimentos como a amizade o amor o carinho e tudo o mais que faz com que possamos sentir o calor humano de quem escreve de uma ou de outra forma.
Será que alguém me entendeu?
Um abraço a todos os puristas de ambos os lados do oceano e lembrem-se que a lingua é propriedade de quem a fala independentemente da sua nacionalidade.

JPG disse...

Claro que também já assinei (e divulguei) a petição - para já não falar da "porrada" falada que já dei no A.O., via Apdeites -, mas será talvez de referir que alguns dos étimos que utilizou no seu texto não vão mudar: "facto" admite dupla grafia; "pacto" mantém-se inalterado; "hora" (como "hoje", por exemplo) também não mudará... que eu saiba.

JPG disse...

O link no comentário anterior refere-se ao A.O de 1990 que, quase 20 anos depois, ainda não entrou (felizmente) em vigor. Para mais consistência, ficam aqui as ligações para um post recente sobre o assunto, o texto completo do A.O. e, já agora, para quem tiver curiosidade sobre isso, o texto do A.O. de 1945.

São disse...

Obrigada por esta oportunidade de lutar pela língua genuína!
Abraço-te, amiga!

Spectrum disse...

tanto quanto sei, em todos os paises inde se fala português, a questão é levantada da mesma forma. Desde logo existem razões do domínio da linguística que não permitem que tal aconteça. Depois a língua só se valoriza na sua diversidade; há muito que assinei a petição.
Um beijo, Isabel

Mário Relvas disse...

A identidade de um povo não deve ser adulterada assim. "Em um" -num- país as raízes são confundidas com a impressão de livros de forma global. Escusam de fazer várias impressões e globalizam o português, mas o tiro pode saír pela culatra e levar ao desemprego de quem trabalha em várias editoras, na impressão e traducção.
Quanto a mim e de acordo com o estabelecido no referido acordo... continuarei a escrever como habitualmente, mas pergunto: como será feita a avaliação do português nas escolas e universidades?

Saudações e um sorriso
PS- Comprem o Pirilampo Mágico 2008

O Guardião disse...

Forçar nunca foi a solução porque por muitos acordos que se façam, a diversidade vai continuar a existir e a língua vai evoluindo como tudo o resto, menos as mentes dos iluminados que tentam formatar a língua a seu gosto.
Cumps

Isabel Magalhães disse...

Isabel;

Vinha fazer, exactamente, a mesma pergunta:

"como será feita a avaliação do português nas escolas e universidades?"

Na rua todos podemos falar como queremos, com ou sem acordo, mas no ensino não poderá ser assim.

Obrigada pelo destaque ao meu comentário.

Saudades. :)

I.

Isabel-F. disse...

Odele,

Claro que concordo contigo.

beijinhos

Isabel-F. disse...

Mocho Falante,

Espero que voltes rápido ... vou sentir a tua falta.


bjs

Isabel-F. disse...

raul,

obrigada pelo teu comentário ... gostei dele ...

ironia em certas situações é precisa e faz falta.

beijinhos

Isabel-F. disse...

jpg,

Viva e bem vindo aqui ao meu sitio.

Obrigada pela visita e contribuição dada para o tema.

Bjs

Isabel-F. disse...

São,
Sepectrum,
Mário,
O Guardião,

Agradeço-vos a presença e o vosso contributo.

bjs

Isabel-F. disse...

Isabel,

Nada tens a agradecer ...

e tens razão ...

por que nalguns sitios não se pode falar???


beijinhos

Marco Ferreira disse...

Eu estou neste momento à espera que o link abra uma nova janela para assinar a petição.

Sou completamente contra este novo acordo. Tal como costumo dizer desta maneira acaba o "Português" para passar a existir finalmente a língua "Brasileira".

marinheiroaguadoce a navegar

Ema Pires disse...

Olá amiga,
Já assinei. Estou absolutamente contra. Eu também sou tradutora e intérprete como poderá ver no meu blog. A língua portuguesa nao merece o que lhe querem fazer.
Um abraço

Odele Souza disse...

Bom dia Isabel,

Também assinei a petição. Sou brasileira e me expresso no idioma português do Brasil e gostaria de continuar a escrever a me expressar de acordo com a cultura de meu país e conforme aprendi nos longos anos em que passei estudando. Assim como acho que os portugueses gostariam de se expressar da forma que aprenderam. Percebo que essa "reforma" esse "acordo" de unificação do idioma português não interessa nem ao Brasil nem a Portugal, portanto, por que não se preocupam esses senhores com causas mais importantes como por exemplo a erradicação do analfabetismo,que existe de forma vergonhosa, tanto aí como aqui?! Insisto nisto.

Um abraço.

aDesenhar disse...

De gravata e fato
eles de fato
assinam o pato
e para o almoço
mas bem regado
deve ser servido
um pato com limão
a condizer
com o ato...

:-)
sem fato
e sem gravata
já assinei
duas petições.

bjs isabel

Carla disse...

já assinei porque me sinto atatada com este ato.
beijos

Patricia disse...

Isabel, he pasado a visitar tu hogar virtual, dejo mis saludos.

Un fortísimo abrazo.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Isabel
Já assinei. Adorei a forma como colocaste a questão. Efectivamente, além do bom humor, os exemplos são por demais elucidativos.
Abraço

Lola disse...

Isabel,

Eu já assinei.

Todas as línguas vivas evoluem, mas não por decreto.

A evolução é feita naturalmente.

Este pacto sabe a pato.

Beijos grandes

guiga disse...

Já assinei a petição há um tempo atrás!
E sim, eu não concordo!!! Acho até ridículo! Estão a matar a alma do nosso país!
*.*

Isabel-F. disse...

Marco,

Se te custou a abrir é porque tem havido muito movimento .. só num dia foram cerca de 10.000 assinaturas...

bjs

Isabel-F. disse...

Ema,

Carla,

Viva e bem vindas aqui ao meu sítio ... espero ver-vos por aqui mais vezes ... a porta está aberta

obrigada pela visita e pela participação.

beijinhos

Isabel-F. disse...

Odele,

Acho que fizeste muito bem em fazê-lo ... assim mostra-se aos de cá que o sentimento no Brasil é o mesmo ...

beijinhos para ti

Isabel-F. disse...

adesenhar,

rssss....

estão óptimos os teus versos ...


beijinhos

Isabel-F. disse...

patricia,

obrigada e beijinhos para ti

Isabel-F. disse...

Lídia,

Lola,

Guiga,

Obrigada pela presença, pelas vossas palavras e pela participação.

Beijinhos a cada um de vós

DelfimPeixoto disse...

É a minha também... mas será que em Portugal se fala e escreve Português???
Jnh

Isabel-F. disse...

Delfim,

Claro que se fala e escreve português ...

o problema é que muitos vão deixando de o saber fazer ...

e a continuar assim ...onde iremos parar? ...

repara ... nada tenho contra a evoluação da Língua ... mas ela tem de ser natural ...


bjs

DelfimPeixoto disse...

A Linguagem, Língua Universal, se todos a escrevessem e lessem, seria a Música e não haveria necessidade de acordos ... apesar de a música ter códigos...
( desabafo)
bjnh

Betty Branco Martins disse...

querida________Isabel




jamais!______CONCORCAR COM ESTA BARBARIDADE!!!





já assinei a petição. hoje já foi entregue







beijO________C_______carinhO

C Valente disse...

Já tinha apresentado a minha petição, e sei que já foi apresentado na AR com mais de 15.000 assinaturas
Saudações amigas

Armando S. Sousa disse...

Já subscrevi há uns dias atrás, como não poderia deixar de ser.
Este acordo, é um atentado ao nosso património cultural.
Um abraço

Mar Arável disse...

Não faço pactos com patos

a menos que seja

na adega da ti matilde

Nuno de Sousa disse...

Olá amiga Isabel,
Uma boa forma de chamar a atenção debantendo um assunto sempre problemático, mas se voltarmos atráz uma centena de anos vamos observar como era diferente a escrita do que é hoje, como seria na altura qdo se falou em rever o Português? Claro que com a mesma polémica de hoje concerteza, afinal a escreti também vai evoluindo e mudando e ai nada se pode fazer, agora que se deve falar, debater, chamar a atenção entre outras coisas, claro que sim, porque as mudanças têm de ser feitas com cabeça tronco e membros e não fazer por fazer.
Em relação à minha foto da ponte, basta ires a Alcantara, estares debaixo da mesma, teres uma grande angular e pronto consegues algo assim :-) facil não...
Bjocas grandes amiga e obrigado pelas tuas visitas q são sempre bem vindas.
Nuno

ANTONIO DELGADO disse...

O tema é complicado, dado que está contaminado pela ideia da economia do numero de falantes e ai os nossos irmãos brasileiros levam-nos vantagem... Mas gostava que a nossa lingua fosse preservada como a matriz dos muitos portugueses derivados dela.

Um abraço e obrigado pela visita.

António

DelfimPeixoto disse...

Estudei melhor o assunto: é assim: com o Accordo vamos escrevr Ospital, fato ( de vestir, de acontecimento ), vamos escrever ato ( de atar, e cena de uma peça de Tearo);
Pois... tens razão...
jnhs

Eduardo P.L. disse...

Isabel,

como já disse em outras ocasiões, este FATO, só esta tendo alguma repercução em Portugal. Aqui no Brasil não se fala do assunto. Mas podes esquecer, falará mais alto o poder econômico que pretende vender livros numa mesma grafia, ainda que essa não seja mais o português escrito e falado em Portugal. Não há nada a fazer contra fatos! E o MAIS forte sempre vence! Infelizmente é assim!

Bjs

Clitie disse...

Já fui assinar!!

Beijinhos e boa semana

Um Poema disse...

Estou contigo, amiga!

Mais uma vez, como sempre, os políticos, na sua imensurável ESTUPIDEZ, descobriram uma forma de atropelo dos nossos valores.

Não posso deixar de aplaudir esta tua iniciativa.
Também eu assinei e convidei muitos amigos a assinar a petição.

Um abraço