terça-feira, maio 20, 2008

Profissão ....


Profissão: Doutora!

Anne foi renovar a sua carteira de motorista.
Pediram-lhe para informar qual era a sua profissão.
Ela hesitou, sem saber bem como se classificar.
"O que eu pergunto é se tem um trabalho", insistiu o funcionário.
"Claro que tenho um trabalho", exclamou Anne. "Sou mãe."
"Nós não consideramos 'mãe' um trabalho.
Vou colocar Dona de casa", disse o funcionário friamente.
Não voltei a lembrar-me desta história até o dia em que me encontrei em situação idêntica.
A pessoa que me atendeu era obviamente uma funcionária de carreira, segura, eficiente, dona de um título sonante.
"Qual é a sua ocupação?" perguntou.
Não sei o que me fez dizer isto; as palavras simplesmente saltaram-me da boca para fora:
"Sou Doutora em Desenvolvimento Infantil e em Relações Humanas."
A funcionária fez uma pausa, a caneta de tinta permanente a apontar para o ar, e olhou-me como quem diz que não ouviu bem.
Eu repeti pausadamente, enfatizando as palavras mais significativas.
Então reparei, maravilhada, como ela ia escrevendo, com tinta preta, no questionário oficial.
"Posso perguntar", disse-me ela com novo interesse, "o que faz exatamente?"
Calmamente, sem qualquer traço de agitação na voz, ouvi-me responder:
"Desenvolvo um programa a longo prazo (qualquer mãe faz isso),
em laboratório e no campo experimental (normalmente eu teria dito dentro e fora de casa).
Sou responsável por uma equipe (minha família),
e já recebi quatro projetos (todas meninas).
Trabalho em regime de dedicação exclusiva (alguma mulher discorda???),
o grau de exigência é a nível de 14 horas por dia (para não dizer 24...)."
Houve um crescente tom de respeito na voz da funcionária que acabou de preencher o formulário, se levantou, e pessoalmente me abriu a porta.
Quando cheguei em casa, com o título da minha carreira erguido, fui recebida pela minha equipe - uma com 13 anos, outra com 7 e outra com 3.
Do andar de cima, pude ouvir o meu novo experimento (uma bebê de seis meses),
testando uma nova tonalidade de voz.
Senti-me triunfante !
Maternidade... que carreira gloriosa!
Assim, as avós deviam ser chamadas "Doutora – Sênior em Desenvolvimento Infantil e em Relações Humanas";
as bisavós: "Doutora-Executiva – Sênior
e as tias: "Doutora-Assistente".
Eu acho!...

(A.D.)

18 comentários:

Paula Raposo disse...

Penso que sim. De acordo. A minha Mãe é um caso senior e a minha filha um outro caso idêntico. Essa carreira nobre saltou a minha geração, porque não fui ou não sou a Mãe que deveria ser. Mas os meus filhos sabem porquê. Muitos beijos. Este post está lindíssimo e comoveu-me até às lágrimas.

anamarta disse...

Isabel Bom dia
Gosto de começar o meu dia, visitando este teu sítio, o que infelizmente nem sempre consigo, pois sei que aqui encontro sempre algo belo para ver, e hoje mais uma vez assim aconteceu, além da imagem que é linda, o texto é uma homengagem ao trabalho das mães que é tão pouco valorizado.
beijos

Anónimo disse...

NOVO SITE DO PASSERELLE, ARRANCA HOJE

COM NOVOS CONTEÚDOS E MAIS INFORMAÇÃO

AS NOVIDADES INCLUEM INFORMAÇÕES SOBRE O CLUBE,

AGENDA, FESTAS, PROMOÇÕES, RESTAURANTE, EMENTA,

PREÇOS, RESERVAS, MODELOS, VIDEOS E BREVEMENTE

PASSERELLE TV

VEJA O MELHOR SITE DA NOITE

http://www.passerelle.pt

Belzebu disse...

Um grande abraço infernal para todas as Doutoras em Desenvolvimento Infantil e em Relações Humanas e muito especialmente para a minha, que é a melhor do mundo!

eheheh!

Fatyly disse...

Muito bem pensado e obrigado pela partilha:)))

Além de reformada também vou passar a dizer"Doutora – Sênior em Desenvolvimento Infantil e em Relações Humanas"

A imagem está soberba!

Beijos

Odele Souza disse...

Uma profissão tão antiga, esta a de ser mãe. As mães são assim, dessa entrega total aos filhos. E fazem isto, não por imposição ou solicitação dos filhos ou de quem quer que seja, mas sim porque essa entrega total, incondicional, visceral, é de sua natureza. Mãe.

A imagem? Belíssima.

Um beijo.

wind disse...

Já conhecia este texto e está muito bom:)
Beijos

Águas da Vida disse...

Emocionante o post de hoje, parabéns querida isabel.
Um excelente martedi querida Isabel.
Big Kiss

Zé do Cão disse...

Gostei e muito.

Bj.

guiga disse...

Gostei do texto e da imagem! E sim, mãe deveria ser uma profissão respeitada e remunerada!
Beijos *.*

Marte disse...

E Mai'nada! Mãe é a mais difícil profissão do mundo!

peciscas disse...

Delicioso texto. À primeira vista até parece humorístico mas é, afinal, uma terna referência ao papel das mulheres no apoio à família.
Em especial, as mulheres do tempo da minha mãe, nunca tiveram eese papel devidamente reconhecido e valorizado.

Já agora, embora tendo pouco a ver, ao começar a ler o texto lembrei-me: Sabes que a filha do Américo Tomás tinha no BI como profissão (nesse tempo havia essa indicação) "filha do Presidente da República"?

São disse...

ESTUPENDO!!!
Parabéns pela óptima reflexão que nos ofereces, Isabel!
Um abraço fraterno.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Isabel
A imagem é fenomenal.
Relativamente a sermos todas doutoras já me tinham mandado por mail e, naturalmente, não posso deixar de concordar.

Abraço

Betty Branco Martins disse...

querida_______Isabel







recebi faz algum tempo

por mail______este documento






toda as pessoas______o mundo_____deveria ler















beijO_____C_____carinhO

C Valente disse...

Doutora, melhor Rainha mãe de um império
Saudações amigas

Maria Augusta disse...

Isabel, excelentes tanto a imagem quanto o texto. Não vejo nada demais no fato de que uma mãe se auto-intitule "Doutora". Afinal, existe coisa mais importante no mundo que a educação das crianças?
Beijos.

Rosa Silvestre disse...

BOA!
Um beijinho, RS.