quinta-feira, agosto 02, 2007

Pegadas na Areia ...

13 comentários:

M R disse...

Sou o 1º...que sorte!
Vês as minhas pegadas a andar de mansinho para trás?

Lindas a imagem e a nina!

bjs

Mário Relvas

rascunhos disse...

Belo, sublime...

Paula Raposo disse...

Muito bonito! Beijos.

Amaral disse...

Isabel
Quem me dera ir na praia (deixando pegadas) e tropeçar numa destas "dunas". Até já estou com calor. Vou até à piscina para refrescar.
Bjo

Odele Souza disse...

Lindo trabalho.
Ah! e o Amaral, sempre a fazer comentários "quentes" e bem humorados sobre teus trabalhos. Bom, mas que ele tem bom gosto lá isso ele tem mesmo.(rsrs)
Um beijo querida e tenha um bom dia.

hilda disse...

Composição linda... viajou bem, Isabel!

Beijocas

C Valente disse...

Desculpa mas eu olhei mais para o corpo, as pegadas não são minhas(pena)
Amiga, a nossa revolta é pela brandura em que pensamos, que o crime muitas vezes compensa.
saudações amigas com mil beijos

Alexandre disse...

Hum, se eu soubesse que no fim das pégadas na areia estava uma... sereia humana... acho que ia já para a praia!!!

Muitos beijinhso!!!

poesiadaspiramides disse...

muito lindo,
beijinhos

mfc disse...

Lindo! Lindo...
Gosta-se de cá vir!
Um beijo para ti,Isabel.

Maria Clarinda disse...

Obrigada pelo teu carinho, meu pai vai melhorando lentamente...
Adorei mais uma vez os teus trabalhos!Fico tempos admirando-os.
Jinhos grandes

Águas da Vida disse...

Lindissimo querida amiga e nesse momento lembrei de um poema que circula na net como autor desconhecido porém eu descobri o autor e é lindissimo o poema peço permissao para coloca-lo aqui:

Pegadas na Areia
Autora: Mary Stevenson


Uma noite eu tive um sonho...
Sonhei que estava andando na
praia com o Senhor,e através do
Céu, passavam cenas de minha vida.
Para cada cena que passava,percebi
que eram deixadas dois pares de
pegadas na areia;um era o meu e o
outro do Senhor.
Quando a última cena de minha vida
passou diante de nós,olhei para trás,
para as pegadas na areia,e notei que
muitas vezes no caminho da minha vida
havia apenas um par de pegadas na areia.
Notei também que isso aconteceu nos
momentos mais dificeis e angustiosos
da minha vida. Isso aborreceu-me deveras,
e perguntei então ao Senhor:
"Senhor, Tu me disseste que,uma vez que
eu resolvi Te seguir, Tu andarias sempre
comigo, todo o caminho, mas notei que
durante as maiores atribulações do meu
viver havia na areia dos caminhos da
vida, apenas um par de pegadas.
Não compreendo porque nas horas
em que eu mais necessitava de Ti,
Tu me deixastes".
O Senhor respondeu:
Meu precioso filho, Eu te amo e jamais
te deixaria nas horas da tua prova e
do teu sofrimento.
Quando vistes na areia apenas um par
de pegadas, foi exatamente aí que
EU TE CARREGUEI EM MEUS BRAÇOS".

Poema escrito em 1936 por Mary Stevenson
que recebeu os direitos autorais
da obra em 1984 depois de muita luta para
provar que o poema era de sua autoria.

Big Kiss

Um Poema disse...

Não posso ausentar-me um fim de semana que, quando regresso tenho que ficar por aqui o serão inteiro.

Um abraço